domingo, 31 de julho de 2011

Mt 14, 13-21 - "Todos comeram e ficaram saciados"

Jesus vem hoje, uma vez mais, mostrar-nos o prodigioso poder da multiplicação, ao alimentar uma multidão com um simples gesto.
É importante que percebamos que quando nos dispomos a partilhar o "nosso pouco" com os outros, aos olhos de Deus o "nosso pouco" transforma-se em muito.
Seguindo os ensinamentos de Jesus todos ficaremos saciados.
Segunda-feira
Naquele tempo, quando Jesus ouviu dizer que João Baptista tinha sido morto, retirou-Se num barco para um local deserto e afastado. Mas logo que as multidões o souberam, deixando as suas cidades, seguiram-n’O por terra.

Jesus naquele tempo já era seguido pelas multidões por causa dos milagres que realizava naqueles que se encontravam doentes. Jesus ao saber da morte de João Baptista retirou-Se num barco para um local deserto e afastado. Mas nem mesmo assim as multidões deixaram de O seguir, seguindo-O por terra.
Meditação:
E eu? Sou um dos que seguem Jesus no dia-a-dia? Ou acomodo-me e só O busco quando preciso dos Seus milagres para ser curado (a)? Será o meu seguimento incondicional e sem segundas intenções?
Oração:
Senhor, ajuda-me a reconhecer os Teus milagres, que às vezes passam desapercebidos. Ajuda-me a ser Teu fiel seguidor.
Acção:
De hoje em diante vou procurar reconhecer em todas as minhas alegrias os Teus milagres.

Terça-feira
Ao desembarcar, Jesus viu uma grande multidão e, cheio de compaixão, curou os seus doentes.

Meditação:
Por vezes estamos doentes, não doentes fisicamente…mas doentes na fé. Temos necessidade da misericórdia do Senhor, mas somos fracos e temos vergonha de ir ao encontro deste desembarque em busca daquele que é compassivo e misericordioso para connosco. Temos medo de procurá-Lo, temos medo de incomodá-lo. Ele porém está sempre ao nosso lado para curar as nossas «doenças».

Oração:
Senhor, quero curar-me da minha «doença». Por isso vou ao Teu encontro na minha oração, para me encontrar conTigo e entregar-me, de coração aberto, para que possa sentir o Teu abraço acolhedor na minha vida.

Acção:
Procura Jesus…no café, numa conversa com amigos, no teu trabalho. Não tenhas medo de incomodá-Lo, atreve-te…
Quarta-feira
 Ao cair da tarde, os discípulos aproximaram-se de Jesus e disseram-Lhe: «Este local é deserto e a hora avançada. Manda embora toda esta gente, para que vá às aldeias comprar alimento».

Com o avançar da hora, os discípulos de Jesus ficaram preocupados com todas aquelas pessoas que ficaram para ouvir Jesus, o alimento que tinham era escasso, os olhos deles não viam que o alimento espiritual era mais importante…estando saciados espiritualmente estariam com menos fome. Dizem a Jesus que o melhor é Ele mandá-los embora para que a comida chegue para todos…Jesus faz com que eles O ouçam e depois mostra-lhes que se fizerem o que Ele diz terão alimento para todos.
Meditação:
Com a Palavra ficamos saciados e nada nos faltará, desde que a conheçamos e a ponhamos em pratica…não devemos achar que a Palavra é só para alguns a entenderem. Jesus dá o exemplo da importância da Palavra nas nossas vidas. Primeiro o alimento espiritual depois a comida para o corpo. Hoje todos nos preocupamos demasiado com o que comemos: uns comem demais e ficam obesos outros desnutridos e a morrer de fome. Será que, se a Palavra de Deus, fosse conhecida e posta em prática não estaríamos todos muito melhor? Estaremos nós saciados ou andamos à procura de algo e nem sabemos bem o quê?

Oração:
Senhor, agradeço todos os dias a Tua presença e compreensão respeitando o tempo da nossa ignorância e compreendendo as nossas faltas para conTigo.

Acção:
Hoje vou alimentar o meu existir com a palavra de Deus e amolecer o meu duro coração com as Suas palavras de amor.
Quinta-feira
Mas Jesus respondeu-lhes: «Não precisam de se ir embora; dai-lhes vós de comer». Disseram-Lhe eles: «Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes».

Jesus vendo o desespero dos Seus discípulos disse-lhes: “ não precisam de se ir embora e dai-lhes vós de comer.” Mesmo sabendo que a quantidade de pão e peixe não era suficiente para a multidão, Jesus quis mostrar aos discípulos que, apesar da escassez de alimento, a maior falta dos seus discípulos era a falta de fé em Jesus.

Meditação:
Estarei eu atento (a) a Jesus, quando Ele solicita a minha ajuda? Ou desculpo-me com a pobreza dos meus meios? Será que me entrego, dou o melhor de mim, partilho, sou generoso (a) e acima de tudo confio em Jesus ?

Oração:
Obrigado Jesus por fazeres de mim o Teu instrumento. Quando me dás a fé, eu dou o testemunho; quando me mostras o caminho eu partilho-o com os outros; quando me dás a vida, eu posso oferecer aos outros a vontade de viver. Obrigado Jesus por contares comigo.

Acção:
Hoje e sempre irei esforçar-me para cada vez mais dar o Teu testemunho àqueles que ainda duvidam de Ti, mostrar-lhes o caminho, e para aqueles que pelas mais diversas razões não têm vontade de viver, vou mostrar-lhes a vontade de viver. 
Sexta-feira
Disse Jesus: «Trazei-mos cá». Ordenou então à multidão que se sentasse na relva. Tomou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos ao Céu e recitou a bênção. Depois partiu os pães e deu-os aos discípulos e os discípulos deram-nos à multidão.


Meditação:
Jesus em tudo é perfeito e a multiplicação dos pães e do peixe é a prova disso. Cinco pães e dois peixes, igual a sete…o número perfeito. Se cada um de nós souber partilhar aquilo que tem, esse pouco transformar-se-á em muito e o mundo será melhor para todos. Que estes pães e estes peixes que o Senhor deu em comunhão sejam suficientes para saciar a nossa «fome» de fé.
                                                                                                                  
Oração:
Aqui estou Senhor e entrego-me a Ti, para que possa entrar na Tua intimidade. Peço-Te o pão de cada dia, pois só Tu, Senhor, és o Pão da vida. «Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim jamais terá fome».

Acção:
Está nas tuas mãos passar da palavra à acção, vai ter com alguém que está a passar por dificuldades e oferece-lhe o teu amor, o teu carinho, o que de melhor tens para oferecer.
Sábado
Todos comeram e ficaram saciados. E, dos pedaços que sobraram, encheram doze cestos. Ora, os que comeram eram cerca de cinco mil homens, sem contar mulheres e crianças.

A palavra que sacia, o pão que alimenta e Jesus como grande exemplo.

Meditação:
Todos ficaram saciados …será que nós quando vamos à missa também nos sentimos saciados com a Palavra? Ou sentimos necessidade de aprofundar o nosso conhecimento para que possamos ser pessoas livres de escolher o que queremos? Pensemos nisto para que a multiplicação dos pães não seja uma coisa com um significado simples e fácil de entender, porque multiplicar não é só para matemáticos …multiplicar o amor não é tarefa só para alguns…é tarefa para toda a gente e está ao alcance de todos.

Oração:
Olá Senhor. Tu que tudo sabes sobre mim! Não Te vou chatear com grandes palavras caras, mas olha para todas as minhas faltas com carinho e dá-me o que eu precisar. Sei que nem sempre compreendo o que fazes, já me habituei que está sempre certo. Posso não entender no momento porque ainda tenho o coração duro, mas depois de algum tempo sei que foi o mais correcto. Obrigada. 

Acção:
Hoje vou escrever três frases da bíblia e oferecer a quem estiver mais distante de mim e eu sinta saudades - pode ser por telemóvel ou computador ou ainda por carta.

domingo, 24 de julho de 2011

Mt 13, 44-52 - "Vendeu tudo quanto possuía para comprar aquele campo"

As parábolas do Evangelho de hoje chamam-nos a atenção para a opção pelo Reino da justiça, pelo qual vale a pena arriscar tudo, sem olhar para trás e sem receio.
Podemos perceber que o Reino da justiça está ao alcance de todos nós...

Segunda-feira
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «O Reino do Céu é semelhante a um tesouro escondido num campo. O homem que o encontrou tornou a escondê-lo e ficou tão contente que foi vender tudo quanto possuía e comprou aquele campo.

No texto, Jesus fala-nos do tesouro encontrado no campo, no seu valor e da alegria da descoberta. No imperativo de vender tudo pelo único bem, que é o Reino do Céu.

Meditação:
O tempo presente oferece a possibilidade de adquirir o tesouro inestimável do Reino dos Céus. Estamos nós dispostos a romper com a indiferença, com o egoísmo, com a vaidade, com o orgulho, com tudo aquilo que não é de Deus, para entrarmos no Reino dos Céus?

Oração:
Senhor, tenho vivido a vida à minha maneira. Desejo agora vivê-la como Tu queres.
Preciso de Ti, Senhor, e peço agora que assumas o controlo da minha vida.
Peço-Te que ocupes o trono e o centro da minha vida. Ajuda-me a viver da maneira que Tu queres.

Acção:
Hoje vou tentar descobrir Deus na minha vida - “o tesouro escondido” - e transmitir aos outros a alegria da descoberta.

Terça-feira
O Reino do Céu é semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Ao encontrar uma de grande valor, foi vender tudo quanto possuía e comprou essa pérola.

Jesus compara o Reino do Céu a um negociante que procura pérolas preciosas e que vende tudo o que possui para adquiri-la.

Meditação:
Jesus dá-nos a conhecer como é o Reino do Céu. É tão belo que o compara a uma pérola preciosa muito rara. Deseja que o não troquemos por coisa alguma deste mundo. Assim, vale a pena deixar tudo e seguir Jesus.
Seremos nós capazes de tomar esta opção?

Oração:
Senhor, fortalece em nós os propósitos de seguir os Teus passos com alegria pelas veredas da vida, para que consigamos fazer parte do Teu tesouro, que é o Reino do Céu.

Acção:
Hoje vou procurar com muita atenção alguma pedra preciosa que antes tenha passado desapercebida, num encontro, na família, num amigo....

Quarta-feira
O Reino do Céu é semelhante a uma rede que, lançada ao mar, apanha toda a espécie de peixes. Logo que se enche, puxam-na para a praia e, sentando-se, escolhem os bons para os cestos e os que não prestam deitam-nos fora.

Esta parábola sublinha a coexistência de maus e bons até ao fim dos tempos dentro da comunidade cristã. Assim como é preciso separar o bom peixe do mau, também o que é bom fará crescer o Reino, o que é mau tem de ser lançado fora.

Meditação:
Jesus veio ao mundo e lançou as redes do Reino de Deus, para que nela nos prendéssemos por amor.
Seremos nós capazes de nos deixarmos prender nestas redes?
Como seria bom que se enchessem os cestos da bondade e vazios ficassem os cestos da maldade. 

Oração:
Senhor, peço-Te que me prendas na rede do Teu amor.
Ajuda-me a crescer todos os dias no amor, a fim de que possa atingir a salvação.

Acção:
Com  a ajuda de Deus vou esforçar-me por crescer a sério como cristão(ã), inspirando-me na carta de Paulo aos Filipenses: “-trabalhai com temor e tremor pela vossa salvação. Pois é Deus quem, segundo o seu desígnio opera em vós o querer e o agir” (Filipenses 2:12,13)

Quinta-feira
Assim será no fim do mundo: os Anjos sairão a separar os maus do meio dos justos e a lançá-los na fornalha ardente. Aí haverá choro e ranger de dentes.»

Jesus faz a comparação entre o bom e o mau peixe com o “fim do mundo”. Assim como são escolhidos os bons peixes para os cestos e os que não prestam deitam-nos fora, também no “fim do mundo”, os justos serão escolhidos para entrar no Reino do Céu.

Meditação:
Ao lermos a Palavra podemos ficar um pouco assustados... mas se estivermos atentos e vivermos em obediência ao Evangelho, aquando do juízo final, e acontecer a separação dos bons e dos maus, de certeza que os Anjos nos levarão para o Reino do Céu.

Oração:
Senhor, Tu que nos amas tanto, ajuda-nos a cada instante, a romper com o passado, a viver a nossa vida como Tu queres, por mais que nos custe, para adquirir um lugar no Teu Reino, porque só Tu és o caminho para chegar até Deus.

Acção:
Com o encontro conTigo, Senhor, ajuda-nos a levar aos outros, a certeza que tudo vale a pena fazer para Te servir.

Sexta-feira
«Entendestes tudo isto?» Eles responderam-Lhe: «Entendemos.»

A pergunta que Jesus formula é importante porque pretende saber se os discípulos e todos nós compreendemos o ensinamento de Jesus.

Meditação:
Jesus pergunta não só aos seus discípulos como a nós também se entendemos os seus ensinamentos. Será um “sim” a nossa resposta, como a dos discípulos?
Se respondemos afirmativamente, então temos de ter sempre presente que Deus nos predestinou a sermos conformes à imagem de seu Filho e prepararmo-nos também para o último dia, tal como fizeram os Apóstolos, os cristãos do tempo de Cristo, que morreram pela fé, se quisermos possuir para sempre o Reino do Céu.
                                                                                                                     
Oração:
Senhor, ajuda-nos a entender os Teus ensinamentos.
Ajuda-nos a ser hoje melhores que ontem e amanhã melhores do que hoje e dá-nos um coração grande, capaz de amar sem reservas.

Acção:
Senhor, inspira-me a todo o momento para que eu possa levar os Teus ensinamentos aos irmãos menos crentes.

Sábado
Disse-lhes então Jesus: «Por isso, todo o escriba instruído sobre o Reino do Céu é semelhante a um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e coisas velhas.»

Jesus compara o escriba a um pai de família.

Meditação:
Jesus refere “coisas novas e velhas” e insiste que não veio substituir a Lei de Moisés ou o ensino dos profetas, mas cumpri-los (Mat 5,17).
Por isso os velhos tesouros da Lei recebem novo significado no Reino do Céu. O escriba tira do tesouro da Escritura (Antigo Testamento e Novo Testamento) a doutrina que continuamente aplica às situações da comunidade cristã.
E nós, entendemos o que Jesus nos pede? O Reino de Deus é-nos oferecido pela concretização do projecto que Deus tem para cada um de nós.
Estamos nós dispostos a abandonar as coisas vãs pelo que é mais importante  - “Jesus”?

Oração:
Senhor preciso sempre da Tua ajuda e agora mais uma vez Te peço que me dês a força necessária para conseguir deixar tudo o que me impede de seguir-Te.

Acção:
Vou procurar escutar de coração aberto o que Jesus tem para me dizer.

domingo, 17 de julho de 2011

Mt 13, 24-30 - "Deixai-os crescer ambos até à ceifa"

O bem e o mal, duas coisas inecitáveis na vida dos cristãos, estão hoje figurados nesta parábola como o trigo e o joio.
Por vezes é difícil separar o trigo (bem) do joio (mal), mas a Palavra de Deus hoje ensina-nos como fazê-lo.

Segunda-feira
Naquele tempo, Jesus disse às multidões mais esta parábola: «O reino dos Céus pode comparar-se a um homem que semeou boa semente no seu campo.

Jesus gostava de falar por parábolas. Sabemos que Ele se sentia bem entre os humildes, e por isso, tinha de arranjar exemplos e casos que fossem fáceis de entender.

Meditação:
Neste texto Jesus coloca-nos na posição de seara, campo cujas sementes podem crescer juntamente com outras.
É a nossa vida. É a nossa comunidade. É a nossa sociedade na qual os nossos exemplos postura e trabalho têm uma influência primordial.
Por acaso pensamos nisso?

Oração:
Senhor, tenho consciência que sou mais vezes joio do que boa semente. Ajuda-me a mudar. Sozinho não sou capaz, mas confio em Ti para o conseguir.

Acção:
Em grupo, na solidão do meu lar ou num passeio ao ar livre, tentarei ser o trigo que o semeador plantou.


Terça-feira
Enquanto todos dormiam, veio o inimigo, semeou joio no meio do trigo e foi-se embora. Quando o trigo cresceu e começou a espigar, apareceu também o joio.

Na parábola Jesus avisa-nos que até a dormir o perigo espreita. Apela à vigilância constante.
O vício, o pecado, o mal, crescem connosco na vida. É preciso estar atento, na certeza, porém, de que Deus confia na nossa conversão até ao último dos nossos dias.

Meditação:
Todos nós diariamente nos confrontamos com o joio. Por vezes não seremos nós também joio na nossa comunidade, na nossa família ou no nosso trabalho?
Como procedemos para nos afastarmos do mal?
Conseguimos conviver e viver tendo sempre presente o Bem?

Oração:
Meu Deus, sabeis como é perigosa a vida. De todo o lado surgem tentações.
Ajuda-nos a distinguir o Bem do Mal e ensina-nos o caminho correcto a seguir.

Acção:
Não discriminarei ninguém, independentemente da sua condição social, ideologia política ou religião professada.

Quarta-feira
Os servos do dono da casa foram dizer-lhe: ‘Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde vem então o joio?’.

A semente na parábola pode entender-se como a Palavra Sagrada. Ao ouvi-la pode haver quem a deturpe e confunda. Ao confundir a Palavra de Deus está a estragar a seara que é a Igreja no seu todo, comparando-se assim ao joio.

Meditação:
Na comunidade, na família, no trabalho, há elementos bons e há elementos maus. O convívio entre todos é inevitável, mas todo o cuidado é pouco.
Temos de aprender a separar as águas com sabedoria.
Quantas vezes nos deparamos com pessoas de mau íntimo e ficamos atrapalhados?

Oração:
Senhor, aceita-nos assim com todas as nossas fragilidades. Divino Espírito Santo tende paciência connosco e mais uma vez dá-nos sabedoria para distinguir o que é trigo e o que é joio na nossa sociedade.

Acção:
Preciso semear a paz. Preciso aprender a sorrir. Com a ajuda de Deus Pai, vou tentar.


Quinta-feira
Ele respondeu-lhes: ‘Foi um inimigo que fez isso’.

Jesus responde: foi o inimigo que fez isto. No caso desta seara foi um inimigo real, uma pessoa de má índole que queria prejudicar o lavrador.
Na vida de cada um de nós acontece o mesmo. Há inimigos reais que com palavras mansas nos aliciam, por vezes com a maldade nas entrelinhas, e que nós não conseguimos perceber.

Meditação:
A nossa vida é a nossa seara. Colhemos sempre aquilo que semeamos.
Se semearmos virtudes cabe-nos o dever de desenvolvê-las e transmiti-las.
Se nos encantarmos com os vícios teremos que ser fortes e inteligentes para os afastarmos do nosso trajecto de vida.

Oração:
Desvia, meu Deus, as pedras do meu caminho. Conduz-me pela estrada e não me deixes cair.
Senhor dá-me o Teu colo quando o obstáculo for difícil de transpor.

Acção:
Esta semana vou aprender a escutar as mensagens do Senhor e apurar os meus sentidos.

Sexta-feira
Disseram-lhe os servos: ‘Queres que vamos arrancar o joio?’. ‘Não! ­­– disse ele – não suceda que, ao arrancardes o joio, arranqueis também o trigo.

A parábola é clara. Na seara como na comunidade “Vivemos e Convivemos”.

Meditação:
Na seara o trigo e o joio crescem juntos. Na comunidade crescemos todos e connosco cresce a verdade e a mentira, o ódio e o perdão, a guerra e a paz, o pecado e o amor.
O Reino de Deus é o caminho. Há que preparar esse caminho de modo que na seara da Igreja não cresça joio.

Oração:
Ajuda-me Senhor a não ser joio na minha comunidade e na própria sociedade.

Acção:
Vou rezar um Pai-Nosso sempre que me sentir cair em tentação.


Sábado
Deixai-os crescer ambos até à ceifa e, na altura da ceifa, direi aos ceifeiros: Apanhai primeiro o joio e atai-o em molhos para queimar; e ao trigo, recolhei-o no meu celeiro».

É a vida na terra que a parábola quer referir. Todos nascemos, crescemos e todos morreremos. Entre o nascer e o morrer há uma vida, e somos livres de vivê-la como entendermos.

Meditação:
Na vida na terra crescemos em sociedade. Fazemos as nossas escolhas. Convivemos com pessoas boas e menos boas, com crentes e ateus, com sérios e falsos.
No fim do Reino será feita a separação.
Quem na terra tiver sido boa semente, entrará no Celeiro do Céu e quem tiver sido má semente não será convidado para se sentar com Deus Pai.

Oração:
Senhor quero ser boa semente do Teu Reino. Para isso preciso da tua força. Ensina-me a ver as diferenças. Quero ser um cristão com letra grande.

Acção:
No final desta semana vou reler novamente esta passagem bíblica e fazer uma auto-avaliação, tentando perceber o que mudou em mim durante estes dias.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Terço - Intenção: terceira aparição de Nossa Senhora


1º Mistério
A Ressurreição


Meditação:
A ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo é algo que, embora todos digam que acreditam, ainda é difícil de compreender, especialmente nos dias de hoje, em que só se acredita naquilo que se vê.
Também os pastorinhos de Fátima não perceberam certos acontecimentos do dia 13 de Julho de 1917.
Segundo reza a história, embora fosse Verão, uma brisa fresca soprou sobre a terra, seguida de um reflexo de luz.
Era Nossa Senhora que, tal como tinha prometido, uma vez mais se anunciava aos pastorinhos.

Oração:
Nossa Senhora de Fátima, que a brisa que fizeste soprar sobre a terra no dia da Tua 3ª aparição, se transforme hoje em brisa de amor e harmonia nos nossos corações, para que possamos amarmo-nos uns aos outros como irmãos, tal como o Teu Filho nos pediu.

2º Mistério
A Ascensão

Meditação:
A ascensão de Jesus ocorreu quarenta dias depois da Sua ressurreição, ascendeu aos céus onde se encontrou na presença de Deus Pai.
Os pastorinhos, quando Nossa Senhora lhes apareceu, perguntaram de onde Ela tinha vindo, ao que Nossa Senhora respondeu que tinha vindo do Céu.
Mãe e Filho estavam em harmonia na presença de Deus, olhando por todos os pecadores do mundo, tendo escolhido os três pastorinhos para revelarem a Sua presença.

Oração:
Maria, tu que estás junto do Teu Filho olhando por todos nós, perdoa-nos por todas as vezes em que não honramos o Teu Santo Nome, em que não fomos portadores da paz e semeamos a discórdia.
Ajuda-nos a ser pessoas melhores.

3º Mistério
A descida do Espírito Santo sobre os apóstolos

Meditação:
Os apóstolos, ao serem contemplados com o Espírito Santo, que se manifestou através de línguas de fogo, começaram a falar todas as línguas, demonstrando que aos olhos de Deus todos são iguais.
E foi também nesse sentido que Nossa Senhora pediu aos pastorinhos para rezarem o terço todos os dias - Nossa Senhora queria a salvação do mundo, que estava a sofrer com a guerra.
Mesmo sabendo que a humanidade estava a viver em pecado, Nossa Senhora preocupava-se e pedia que se rezasse para remissão de todos os pecadores.

Oração:
Maria, sabemos que cada vez que pecamos o Teu doce coração de Mãe fica amargurado e triste. De cada vez que recusamos ajudar o próximo ficamos mais distantes da Tua presença.
Que o terço que hoje aqui rezamos sirva para ficarmos mais perto de Ti.

4º Mistério
A Assunção de Nossa Senhora

Meditação:
Nossa Senhora, ao terminar a sua missão na terra, ascendeu de corpo e alma ao Céu, em Glória celestial.
E foi precisamente do Céu que Nossa Senhora se apresentou às três crianças,
Na aparição de 13 de Julho Nossa Senhora mostrou aos pastorinhos a visão do Inferno, para onde iriam as almas dos pecadores.
A salvação era muito simples: sacrificarem-se e rezar muito, para que Deus estabelecesse no mundo a devoção ao Seu Imaculado Coração.
Que tristes ficaram os pastorinhos ao verem a terrível visão do Inferno… Será que se fosse hoje também nós ficaríamos tristes?
Ou preferíamos voltar as costas a essa imagem e fingir que não tínhamos visto nada?

Oração:
Nossa Senhora de Fátima, por vezes ainda caímos na tentação de ignorar os problemas, pensando que por ignorá-los eles desaparecem.
Por vezes ainda achamos que não vale a pena rezar, pois as orações não resolvem nada.
Ajuda-nos a ter a coragem necessária para resolver os “infernos” da nossa vida, tendo sempre presente a oração nesses momentos.

5º Mistério
A coroação de Nossa Senhora como Rainha do Céu e da Terra

Meditação:
Nossa Senhora não é apenas a Mãe de Jesus, é também a Mãe de toda a Humanidade. É a nossa Rainha, protege-nos e olha por nós, intercedendo por todos junto do Seu Filho muito amado.
E que imagem tão bela os três pastorinhos tiveram de Nossa Senhora - descreveram-na como uma senhora muito bonita, vestida de branco, mais brilhante que o Sol. Que graça tamanha serem contemplados com tal aparição!
Nossa Senhora soube escolher o local e as pessoas a quem contemplar com a Sua presença - crianças de coração puro, que acolheram tudo o que Nossa Senhora lhes pediu e permitiram que o “sol” da Sua Graça lhes inundasse o coração.

Oração:
Maria, como eu gostava de ter um coração puro como Francisco, Lúcia e Jacinta!
Mas por vezes deixo-me levar pelas tentações e peco, tendo pensamentos e atitudes impuras.
Ajuda-me a “limpar” o meu coração e a minha vida de toda a “sujidade” do pecado. Peço-te que sejas sempre um Sol na minha vida para iluminares todos os meus passos.

domingo, 10 de julho de 2011

Mt 13, 1-9 - "Saíu o semeador a semear"

Uma vez mais Jesus vem ensinar-nos através de parábolas. E porquê esta forma de ensinar?
Jesus quer mostrar-nos, através de uma forma simples e de uma sittuação da vida, que os valores do Evangelho são para serem vividos intensamente e não apenas para escutar. Devemos unir a fé à vida.

Segunda-feira
Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-Se à beira-mar. Reuniu-se à sua volta tão grande multidão que teve de subir para um barco e sentar-Se, enquanto a multidão ficava na margem.

Meditação
O texto refere-se a Jesus como a alguém cuja presença e mensagem arrasta multidões por onde quer que passa.
Hoje com todas as solicitações da sociedade, saberemos nós também ter tempo para seguir Jesus?

Oração
Senhor, ajuda-me a confrontar constantemente a minha vida com a Tua mensagem e o Teu comportamento.

Acção
Procurarei, neste dia, aprofundar a Tua Palavra e pô-la em prática .

Terça-feira
Disse muitas coisas em parábolas, nestes termos: «Saiu o semeador a semear. Quando semeava, caíram algumas sementes ao longo do caminho: vieram as aves e comeram-nas.

Meditação
Jesus quando falava, procurava ilustrar a sua mensagem com coisas práticas da vida.
Esta parábola tem a ver com a forma como os vários tipos de pessoas a ouvem e a maneira com a põem em prática.

Oração
Peço-te Senhor que me ajudes a ser “boa terra” de forma a tornar-me fiel discípulo de Cristo.

Acção
No meu trabalho vou dar o meu melhor, pensando ser uma boa semente.

Quarta-feira
Outras caíram em sítios pedregosos, onde não havia muita terra, e logo nasceram, porque a terra era pouco profunda; mas depois de nascer o sol, queimaram-se e secaram, por não terem raiz.

Meditação
Nós somos por vezes aqueles solos em que a semente não vinga. Está na nossa mão tratar o terreno que é o nosso coração, lendo a palavra de Deus, ouvindo os conselhos da Igreja, rezar, ser alegre e sobretudo perdoar.
Jesus compara as pessoas aos vários tipos de solo. Dependendo do coração e da mente de cada pessoa, assim a sua palavra dará frutos.

Oração
Faz de mim, Senhor um coração bom de modo que a semente caia e dê “bons frutos”.

Acção
Vou tentar estudar os meus comportamentos, verificar até que ponto preciso purificar-me e modificar as minhas atitudes e pensamentos.

Quinta-feira
Outras caíram entre espinhos e os espinhos cresceram e afogaram-nas.

Meditação
O fruto produzido depende da resposta à palavra. Quando as sementes caiem entre espinhos, as pessoas ouvem-nas, mas no decorrer dos dias elas afogam-se com os cuidados e a riqueza da vida.

Oração
Ajuda-me, Senhor a conhecer as Tuas Escrituras de modo a aprofundar a minha fé para que não coloque os meus interesses acima da Tua Palavra.

Acção
Procurarei viver esta semana de coração aberto à Palavra de Jesus e a pô-la em prática.

Sexta-feira
Outras caíram em boa terra e deram fruto: umas, cem; outras, sessenta; outras, trinta por um.

Meditação
As que caiem em “boa terra” representam as pessoas que ouvem a palavra com o coração aberto, aceitam-na, trabalham-na e produzem frutos na sua própria vida.

Oração
Ajuda-me, Senhor a partilhar a Tua Fé. Que o meu comportamento, sirva de exemplo a outros cristãos.

Acção
A oração é melhor modo de limpar o nosso coração. Hoje vou dedicar os meus pensamentos a falar com Deus.

Sábado
Quem tem ouvidos, oiça».

Meditação
Quantas vezes isso acontece na nossa vida? Dizemos que entra por um ouvido e sai por outro.
Quer dizer que a Palavra entrou no ouvido, mas a nossa mente estava virada para outras coisas e não ficou nada. Os outros pensamentos apagaram o que foi dito por Deus.

Oração
Senhor, reconheço que nem sempre sou o ouvinte que Tu mereces.
Ajuda-me a libertar das incertezas que tantas vezes me levam a fechar o meu coração.

Acção
Saber ouvir é um acto que agrada a Deus. Hoje vou saber escutar os outros.

domingo, 3 de julho de 2011

Mt 11, 25-30 - "Sou manso e humilde de coração"

A Palavra de hoje chama-nos à atenção para o seguinte facto: o que importa não é o que fazemos para Deus, mas sim o que Deus, no seu grande e infinito amor, faz por nós.
Jesus convida-nos, a todos nós que estamos/andamos cansados, a ir até Ele, pois Ele nos aliviará e nos descansará.
Jesus, manso e humilde de coração, aliviará todas as pessoas sofridas, abatidas e fatigadas.

Segunda-feira
Naquele tempo, Jesus exclamou: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos.

Meditação:
Jesus faz um louvor ao Pai, para Jesus o Senhor é absoluto, os sábios não conseguem perceber as palavras e acções de Jesus.
O projecto de Deus concretiza-se a favor dos pobres.
Jesus convida-nos a sermos pequeninos, ou seja quando somos pequenos precisamos de protecção e confiança.
Quando confiam em nós a nossa auto-estima aumenta e perdemos o medo, é isso que Jesus nos pede -  para crescermos com ele na fé.

Oração:
Jesus, Tu és sereno e confiante, ouves as minhas orações, reclamações e dúvidas.
O barulho da minha inquietude nem sempre me deixa ouvir-Te, mas Tu estás ao meu lado para me acalmar, atenuar o meu coração e descansar a minha alma.

Acção:
Hoje vou pedir ao Senhor que me ajude a revelar aos outros as coisas boas que me tem ensinado.

Terça-feira
Sim, Pai, Eu Te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Tudo Me foi dado por meu Pai.

Meditação:
Jesus desceu à terra, por vontade do seu Pai e tudo lhe foi dado. Deus enviou-nos o Seu Filho para nos amar e ensinar o caminho para a Sua casa.
Jesus em tudo obedeceu ao Seu Pai, sofreu, morreu e foi crucificado para nos salvar.
Seremos nós capazes de reconhecer e compreender esta missão?

Oração:
Senhor, ajuda-nos a encontrar o caminho para a Tua casa e a aceitar o Teu sacrifício para que este não tenha sido feito em vão.

Acção:
Vamos hoje reconhecer e agradecer os sacrifícios que os nossos pais também fizeram por nós.

Quarta-feira
Ninguém conhece o Filho senão o Pai e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.

Meditação:
Jesus parece dizer uma banalidade, mas nunca é demais recordar àqueles que O ouvem, quem é Deus, um Pai que nos conhece, seus filhos, como ninguém.
Neste dia, a meio da semana, somos confrontados com um palavra interpelativa e inquietante. Pois parece que Jesus só revela o Pai a alguns, um grupo de pessoas bem comportadas, no entanto não é bem assim, pois Jesus quer revelar o Pai a todos os homens, mas para isso é preciso estar atento e escutar Jesus.
Eu escuto Jesus?

Oração:
Senhor Jesus, ajuda-nos a estarmos atentos aos Teus sinais, sinais que revelam o Pai, para que nós O conheçamos cada vez melhor, para assim sermos filhos verdadeiros.

Acção:
Hoje, vou procurar ser como uma criança que recebe um novo presente: alegre, feliz e ansiosa para o mostrar aos seus amigos: vou mostrar o Pai a todos aqueles que se cruzam comigo.

Quinta-feira
Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei.

Meditação:
“Vinde a mim” são palavras de amor e carinho que Jesus nos dirige. Quando nos entregamos a Jesus ficamos mais fortes e a nossa vida tem mais sentido.
Jesus oferece descanso a todos os que estão a sofrer, dá paz e serenidade a todos os que se encontram oprimidos e cansados pelas tristezas e angústias da vida e consola-nos com a Sua bondade.

Oração:
Senhor todas as noites quando falo conTigo, sei que também estás com os mais desprotegidos e que as minhas preces e o Teu amor aliviam os seus corações.

Acção:
Vou rezar por aqueles que estão a penar, para que Jesus lhes dê paz e serenidade de espírito.

Sexta-feira
Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas.

Meditação:
Jesus sofreu e carregou o peso da cruz por nos amar, sofreu em silêncio e, sem condenar os que O maltrataram, perdoou e amou.
Jesus veio à terra para amar e dar a conhecer o amor infinito que Deus tem por nós.
Ao abrirmos o coração para Jesus e ao perdoarmos quem nos ofende alcançaremos o descanso e a paz para as nossas almas.

Oração:
Senhor, ajuda-nos a vencer as dificuldades, a perdoar quem nos ofende e a encontrar no nosso coração o Teu amor por nós.

Acção:
Hoje vamos, com palavras e acções, ajudar os nossos irmãos e amigos a abrir o coração para Deus.

Sábado
Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».

Meditação:
Mais uma vez Jesus revela de forma simples o quão Deus ama o homem, pois não lhe quer mal, pelo contrário, o jugo é suave e a carga leve.
Muitas vezes para mim ser cristão é um fardo, algo que não me faz feliz, isso quer dizer que não conheço Deus, sinal de que a minha fé está baseada no facilitismo e no egoísmo.
Como posso mudar?

Oração:
Jesus, hoje diz-me que é fácil seguir-te, mas para mim é bem pelo contrário, pois o meu “eu” quer esquecer e negar, peço-Te que me ajudes a olhar para a Igreja como meio e forma de ser mais feliz.

Acção:
Hoje, vou fazer algo que não gosto muito com um sorriso na cara: ouvir uma vizinha que não gosto tanto, não ralhar com o meu marido/minha esposa, tentar perceber o meu filho/meus pais...